Em 1993, Frei Piaia e alguns paroquianos conversavam sobre a necessidade de uma nova comunidade no final da Mirandela. A conversa motivou a Sra. Virgília, moradora das proximidades, que encontrou um terreno de 128,9 m2, no nº 1998 da Av. Mirandela-atual endereço da comunidade – que pertencia à Sra. Osvalda Maria de Souza Silva. Na Caminhada do Trabalhador, que percorreu o trajeto desde a Matriz de N. Sra. Aparecida até o terreno, foi divulgado o nome do padroeiro: São José Operário, que ganhou uma cruz da comunidade Santo Antônio; uma Bíblia da comunidade Santa Filomena; um livro de atas, da comunidade de N. Sra. de Fátima, e imagem de São José, doação da comunidade Matriz de N. Sra. Aparecida. Com uma ajuda do exterior e com o material que sobrou na reforma da Matriz, as várias campanhas para a arrecadação de tijolos e cimento, realizadas entre os próprios paroquianos, os bingos, rifas e cestões de Natal, foram importantes para a construção da comunidade. Em 1994, aconteceu a 1 ª festa de São José. De abril de 1995 a fevereiro de 1997, as missas foram celebradas na casa da Sra. Vírgilia e todas as terças eram feitas procissões nas casas dos fiéis, que acolhiam a imagem do padroeiro.
Em 11 de março de 1995, às 08:00h, com um mutirão feito pelos moradores, começaram as obras. Finalmente em 19 de março de 1997, foi inaugurada a comunidade.
Em março de 1998 foi iniciada a 1ª turma de catequese, com 21 alunos que formaram duas turmas, sob os cuidados da Sra. Maria Isabel. no dia 19 de março de 1999, o Santíssimo Sacramento foi entronizado e a escritura definitiva do terreno foi finalmente entregue no dia 28 de maio. O piso da comunidade, o novo altar e a Mesa da Palavra chegaram no 2º semestre do mesmo ano. Em 29 de março de 2000 – festa de São José Operário – às 08:30h, foi recebida a I ª turma de comunhão preparada na nova comunidade.